Segunda-Feira, 22 de Julho de 2024

Super Dogus - Completo

Mais lidas da semana

4/3/2013 - Ribeirão Preto - SP

Município de Ribeirão Preto é titular do Comitê da Bacia Hidrográfica do rio Pardo




da assessoria de imprensa da Prefeitura de Ribeirão Preto

Na manhã desta quinta-feira, dia 1º, no DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica), aconteceu a eleição para processo de preenchimento das 26 vagas de titulares e respectivos suplentes para composição do Comitê da Bacia Hidrográfica do rio Grande.

Entre os municípios envolvendo cidades do Estado de São Paulo, Ribeirão Preto conquistou a cadeira de cidade titular do comitê. Sertãozinho ficou como suplente.

Entre os 27 municípios que compõem o Comitê, 13 foram eleitos como titulares e 13 como suplentes. Os municípios participantes foram: Altinópolis, Brodowski, Caconde, Cajuru, Casa Branca, Cássia dos Coqueiros, Cravinhos, Divinolândia, Itobi, Jardinópolis, Mococa, Ribeirão Preto, Sales Oliveira, Santa Cruz da Esperança, Santa Rosa de Viterbo, São José do Rio Pardo, São Sebastião da Grama, São Simão, Serra Azul, Serrana, Tambaú, Tapiratiba, Vargem Grande do Sul, Águas da Prata, Pontal, Sertãozinho e Santo Antônio da Alegria.

De acordo com o vice-prefeito de Ribeirão Preto, Marinho Sampaio, o comitê é de grande importância. “A economia da bacia está centrada na agricultura, principalmente na agroindústria sucroalcooleira, seguida da citricultura e outras atividades agropecuárias. Os setores de prestação de serviços e comércio também ocupam destaque nesse contexto”, explicou. 

A Unidade Hidrográfica de Gerenciamento de Recursos Hídricos foi definida pela Lei Estadual n° 9.034, de 27 de dezembro de 1994, e possui uma área de 8.991,02 km². O Comitê da Bacia Hidrográfica do Pardo foi instalado dia 12 de junho de 1996, em Ribeirão Preto.

A UGRHI (Unidade Hidrográfica de Gerenciamento de Recursos Hídricos) é dividida em seis sub-bacias, e seus principais cursos d'água, além do rio Pardo são os seus afluentes pela margem direita os rios Canoas (que nasce em MG) e Araraquara, e os ribeirões São Pedro, da Floresta e da Prata. Pela margem esquerda, os rios Tambaú, Verde e o da Fartura, e o ribeirão Tamanduá. A bacia tem sua economia baseada na agropecuária, indústria, comércio e serviços. Com a agropecuária ocupando 75% do território, destacam-se as culturas de cana-de-açúcar e laranja, além das pastagens, que ocupam aproximadamente 22% da área da bacia. Existem áreas de culturas irrigadas como cebola, batata e milho, que têm importância econômica e no consumo de água. Ribeirão Preto é a principal cidade da UGRHI 4 por concentrar as atividades econômicas da região. Isso tem levado a um intenso uso da água subterrânea, principalmente para o abastecimento público o que tem sido motivo atenção, já que Ribeirão Preto encontra-se localizado na zona de recarga do Aquífero Guarani.



Comunicar erro nesta notícia

Se você encontrou erro nesta notícia, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente ao Mais Ribeirão Preto.


Enviar esta notícia por email



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2024, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.