Domingo, 5 de Dezembro de 2021

Mais lidas da semana

7/11/2012 - Ribeirão Preto - SP

Atenção Primária e Controle da Tuberculose é tema de Seminário para profissionais da saúde




da assessoria de imprensa da Prefeitura de Ribeirão Preto

Cerca de 160 profissionais, entre enfermeiros e agentes comunitários de saúde da rede municipal, participaram nesta terça-feira, dia 6, do Seminário Atenção Primária e o Controle da Tuberculose: Construindo Alianças e Mobilizando Redes, promovido pelo Programa de Controle de Tuberculose da Secretaria Municipal da Saúde.

Segundo a enfermeira Lis Aparecida de Souza Neves, coordenadora do Programa, o controle da tuberculose depende do diagnóstico precoce dos doentes e do tratamento adequado, de forma a interromper a cadeia de transmissão. “Em Ribeirão Preto, a Atenção Primária tem o papel relevante de realizar a busca de pacientes sintomáticos respiratórios e identificar oportunamente os pacientes com tuberculose”, explicou ela. Já os Ambulatórios Especializados oferecem o tratamento completo, que deve ser realizado adequadamente.

Durante Seminário realizado no auditório da ACI, os participantes assistiram palestras sobre vários temas; “Tuberculose: busca ativa, determinantes e tratamento”, proferido pela enfermeira Lis. O tema “Epidemiologia de Tuberculose em Ribeirão Preto” foi abordado pela enfermeira Edimeire Cristina da Silva Souza. A professora Regina Fiorati, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, falou sobre “Tuberculose, Ética e Cidadania” e as enfermeiras Nathália Halax e Melline Hiamamura sobre “Mitos e Verdades sobre Tuberculose”.

Este Seminário visa  qualificar as equipes em relação ao controle da doença. Para que mais profissionais possam participar e se qualificar sobre o tema, ele também será realizado nesta quinta-feira, dia 8, das 13h30 às 17h, no auditório da ACI (Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto).

Tuberculose – Muitas pessoas ainda pensam que tuberculose é uma doença do passado. Mas ela é uma preocupação mundial, pelo número de casos e pela sua gravidade. “É a doença infecciosa que mais mata jovens e adultos e é a primeira causa de morte em pacientes com Aids”, acrescenta a enfermeira.

O tratamento do doente é a melhor forma de evitar a disseminação da tuberculose. Habitação limpa, ventilada e com incidência de sol também é importante para diminuir o contágio. Além disso, uma boa nutrição melhora a resistência orgânica e diminui o risco de adoecimento. Portanto, toda pessoa que apresente tosse persistente, que dure mais de três semanas, deve procurar o serviço de saúde e fazer o exame de escarro, para pesquisar a doença.



Comunicar erro nesta notícia

Se você encontrou erro nesta notícia, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente ao Mais Ribeirão Preto.


Enviar esta notícia por email



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2021, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.